Tempo de leitura: 15 minutos

Nessa matéria trazemos um excelente resumo das tecnologias que estão transformando o mercado imobiliário.

Ficou curioso com esse infográfico? A seguir você entenderá perfeitamente o porquê do destaque dessas tecnologias e da iTeleport nesse âmbito.

Conheça todas as tecnologias de atendimento virtual

De início, precisamos deixar claro que existem grandes diferenças entre tecnologias para a representação digital de imóveis quando ainda estão na planta ou já estão construídos.

O primeiro caso retrata a realidade das incorporadoras, que precisam lançar mão da contratação de profissionais de modelagem 3D para, a partir de um projeto de arquitetura e decoração de interiores, criar digitalmente uma representação da realidade futura. É um processo tradicionalmente artesanal e com diversas revisões, que leva algumas semanas até que se chegue a um entendimento comum de como será o visual do novo empreendimento.

Já no segundo caso, conhecido como mercado secundário, com principal atuação das imobiliárias, há o grande facilitador da possibilidade de se utilizar câmeras fotográficas e scanners, o que torna esse processo de digitalização do imóvel muito mais simples e rápido.

Mesmo com grandes diferenças tecnológicas entre estes segmentos, um fator importantíssimo não mudou com o tempo: todos temos a necessidade de visualizar e compreender bem o imóvel onde iremos morar, antes de tomar a decisão – “é ver para crer”!

          

É justamente no uso, desenvolvimento e recomendação das mais sofisticadas tecnologias que a iTeleport se destaca quando o assunto é Vivências Virtuais.

Confira na sequência as principais soluções para continuar suas vendas, mesmo em tempos de distanciamento social, da mais simples a mais sofisticada:

 

TOUR VIRTUAL 360° ONLINE

Este tipo de tecnologia é considerado básico, de entrada para o mundo da apresentação de imóveis pela internet.

Nessa forma de solução, um fotógrafo ou corretor vai até o imóvel do cliente, arruma minimamente o espaço e captura fotografias com uma câmera composta de 2 ou mais lentes curvadas, o que depois permite torná-las fotos esféricas.

Por se tratar de uma solução focada em minimizar custos ao extremo, em geral a câmera utilizada, resulta em imagens de baixa resolução, de 14 a 20 megapixels, e sem margem para um tratamento digital mais sofisticado.

No retorno ao escritório, quem capturou as fotos deve descarregá-las no computador e conectá-las manualmente num software. Por esse processo ser um pouco trabalhoso, e, dado que dificilmente outra pessoa que não visitou presencialmente o imóvel conseguiria juntar e alinhar corretamente todas as imagens, em geral o fotógrafo captura no máximo 1 foto por cômodo, e não mais do que 10 fotos por imóvel.

Por fim, é disponibilizado um link de internet para acesso à experiência de visitação virtual. O que se nota é que em geral esses softwares de passeio virtual são também bastante simplificados, com poucas funções além de girar a partir do ponto de vista de cada foto e pular de uma para outra com transições básicas.

Nessa lógica, o baixíssimo custo vem com uma série de limitações, como o fato de que grande parte das informações sobre o imóvel continuam inacessíveis mesmo após a geração do tour, os cômodos não registrados, a não exibição da vista de cada janela, a não obtenção da planta baixa do local para referência, a variação de luz entre as lentes, o que dificulta ver partes do cômodo, entre outras.

Esse tipo de solução é mais recomendada para imobiliárias cujos imóveis sejam para locação sem exclusividade, isso devido à natureza do modelo de negócio, bastante desfavorável a uma transação rápida e segura — que praticamente não permite investir no marketing e na divulgação daquele imóvel.

Plataformas nesta categoria: House Viewer, Banib, Meu Passeio Virtual.

Exemplo:

 

TOUR VIRTUAL 3D ONLINE

Neste tipo de tour, diferente do anterior que permite interagir apenas com algumas imagens esféricas, o cliente aqui pode interagir com uma maquete 3D da planta do imóvel.

Este tipo de visualização tem como vantagem sobre o anterior o fato de oferecer uma compreensão dos espaços e conexões entre os cômodos de maneira visualmente mais intuitiva. No entanto, essa tecnologia não permite a sensação de passeio e de presença do imóvel, o que finda em dificuldades para a tomada de decisão por parte do cliente.

Por ser uma tecnologia composta apenas por polígonos 3D, a modelagem do imóvel costuma ser feita sob demanda por um profissional freelancer em um prazo que varia entre algumas horas e alguns dias.

Este tipo de solução acaba sendo mais indicado para arquitetos que não necessitam tanto de uma visão realista, mas, sim, da possibilidade de editar rapidamente variações de layout, cores e acabamentos.

Plataformas nesta categoria: Archilogic, ShapeSpark.

Exemplo:

 

TOUR VIRTUAL 3D  +  360° ONLINE

Aqui, a tecnologia de visitação virtual dá um salto em diversos sentidos, incorporando o melhor que há dos Tours 360° e dos Tours 3D.

A junção das duas tecnologias permite uma compreensão completa do imóvel, inclusive da planta baixa, e as imagens são em alta definição — aspectos que conferem um ar bastante profissional para a apresentação do imóvel através da internet.

Por se tratarem de tecnologias mais robustas e sofisticadas, a quantidade de plataformas disponíveis se torna bem mais reduzida.

Mesmo que bem mais completas, estas plataformas são leves e podem ser acessadas pelo navegador de internet, seja de um computador, tablet ou smartphone, sem precisar instalar absolutamente nada no dispositivo — possuem funcionamento similar ao do YouTube.

 

PARA IMÓVEIS PRONTOS

Para espaços já construídos, como imóveis usados, em estoque ou reformados, o conjunto de tecnologias de digitalização a ser empregado pode ser definido como “Escaneamento 3D integrado a dezenas de fotografias 360° de alta resolução”.

Isso mesmo, nessa modalidade de tour, um operador da iTeleport vai ao seu imóvel com um scanner especializado, posiciona o equipamento em pelo menos 3 pontos por cômodo, captura fotos esféricas cada uma com quase 140 megapixels, todas em HDR (High Dynamic Range – balanço de cor entre as lentes para máxima nitidez em condições adversas de iluminação), e cada parede e mobília recebe milhões de feixes de luz no espectro do infravermelho de baixa potência (invisível e sem risco para o olho humano).

Apesar de bem high-tech, o processo de captura de dados é rápido mesmo para imóveis grandes e com muitos pontos de vista. Em média, um apartamento de 150m² leva 1 hora para ser digitalizado, contando com 50 pontos de vista e com um prazo de entrega de apenas 48 horas.

Vale ressaltar que são capturadas diversas fotos “especiais”, que simulam para o cliente na internet, com perfeição, a sensação de se estar sentado no sofá, deitado na cama, passeando pelo condomínio e, até mesmo, olhando na beira de cada janela — uma experiência incrível, que segura os visitantes por muitos minutos no site e apresenta o imóvel em sua melhor luz!

Essa solução é bastante adequada e economicamente viável para incorporadoras que possuam apartamentos decorados próximos a serem demolidos, imóveis encalhados em estoque com tipologias repetidas e para comunicar as belas áreas comuns de empreendimentos construídas com poucas unidades restantes.

Enquanto para imobiliárias, a conta fecha melhor para quem trabalha com locações de médio e alto padrão (preferencialmente com exclusividade) e vendas em geral.

Não limitada ao setor imobiliário, o escaneamento de espaços prontos se aplica também a estabelecimentos comerciais que queiram melhorar sua presença na internet e no Google Street View.

Plataformas: Matterport, GeoCV

Exemplo:

 

PARA IMÓVEIS NA PLANTA

Para a apresentação digital de novos empreendimentos — os lançamentos imobiliários — apesar de não haver o que escanear na fase de concepção, há a alternativa de criar também uma incrível experiência de visitação virtual, a partir dos materiais técnicos de engenharia, como o projeto arquitetônico, de decoração de interiores, paisagístico, entre outros.

Desenvolvida exclusivamente pela iTeleport, a plataforma permite interagir com um imóvel na planta exatamente como na solução para imóveis prontos.

Aqui o interessado no imóvel é o protagonista, ele determina o tempo de permanência em cada ambiente e pode observar todos os detalhes. Entre os depoimentos de corretores, está que os compradores já chegam certos do que querem, tendo visitado de casa todas as tipologias virtualmente.

Por conter um modelo 3D integrada às visões 360° geradas por computador, esse ambiente bem controlado permite a criação de interatividades avançadas, que em breve serão lançadas, como Personalização Virtual de diversos Itens de reforma (piso, rodapé, forro, marcenaria e marmoraria) com produtos reais do mercado varejista.

A produção deste tipo de apresentação digital se dá por meio de 4 passos:

1) Recebimento dos materiais de projeto (em AutoCAD, Memorial Descritivo em PDF, brochuras em Power Point, entre outros);

2) Definição de um estúdio de computação gráfica de ponta parceiro, capaz de ler todos os materiais com propriedade e de produzir imagens com extremo realismo, em um curto espaço de tempo;

3) Revisões dos detalhes de cada ambiente, junto ao cliente, até o entendimento comum do visual adequado do lançamento e validação final;

4) Produção do Tour Virtual 3D + 360 e entrega de link de internet para inserção nos sites desejados.

Essa solução é o ideal para incorporadoras que desejam ter uma forte presença digital, encantar e reter visitantes no hot-site do empreendimento e nos classificados dos portais por mais tempo, de forma a converter leads com maior quantidade e qualidade.

Podem ser contratados, em conjunto ao Tour, pacote de renderizações de imagem, filmes, plantas humanizadas e tudo mais que compõe o arsenal de marketing de um lançamento.

Plataformas: iTeleport

Exemplo:

 

VISITA POR VÍDEO CONFERÊNCIA

Outra alternativa que foge da linha de soluções high-tech, mas que também é uma opção válida, é a visita à distância mediada por um corretor de imóveis ou pelo proprietário, que está fisicamente no local e em horário combinado, segurando um celular plugado na internet.

O corretor fica por um determinado tempo em cada ambiente e, durante sua permanência no imóvel, tira as dúvidas do cliente.

Esse tipo de apresentação virtual tem ganhado um pouco de força recentemente, devido aos efeitos da pandemia do coronavírus (Covid-19), já que resolve a questão do contato social.

Por outro lado, nem sempre quem realiza a Live (filmagem e transmissão ao vivo) tem experiência com isso. Fatores que impactam negativamente a experiência do comprador e o desestimulam envolvem imagens tremidas, qualidade de conexão variável dentro do imóvel, iluminação inadequada dos ambientes e áudio distante.

Dessa forma, apesar de válida, passa longe de ser a melhor opção.

Plataformas: WhatsApp Video Call, Zoom, Hangouts.

 

TOUR VIRTUAL 3D + 360° + VÍDEO CONFERÊNCIA

Chegamos, então, na experiência mais completa de visitação à distância. Aqui, o cliente é o protagonista sendo auxiliado por um especialista.

Tanto o cliente quanto o corretor podem se alternar para conduzir o passeio através do sistema de vídeo conferência, conforme mais convier, mas com a vantagem de conhecerem o imóvel em alta definição, ambos ligando de locais bem mais controlados do ponto de vista técnico (áudio, vídeo, conexão de internet, conectado ao CRM ou outro sistema de marketing e vendas).

O agendamento prévio, sem deslocamento físico de nenhuma das partes, também permite uma maior produtividade para o corretor de imóveis, que não precisa por vezes cruzar a cidade para o atendimento de um lead incerto, sem a complexidade de gestão de chaves e autorizações em portarias.

Novamente, é o cliente que determina com suas próprias mãos o tempo que fica em cada ambiente. Pode observar todos os detalhes e até validar questões de projeto e engenharia.

A junção dessas tecnologias permite uma compreensão completa do imóvel, inclusive da planta e com imagens em alta definição.

Tendo em vista o rápido avanço para uma mentalidade digital da sociedade e a clara balança favorável de custo x benefício aos novos modos de vida digitais (a disparada de acessos a redes sociais e negócios e-commerce em geral), incorporadoras, imobiliárias, arquitetos e, principalmente, clientes, tendem a migrar em massa para a total digitalização do processo de intermediação imobiliária, especialmente para Lançamentos.

Com todas essas informações, chegamos à conclusão certa de que essas tecnologias são, cada vez mais, necessárias. Não se tratam de luxo, mas, sim, de métodos eficazes para atingir o objetivo final: a melhor experiência possível por parte do cliente, dando mais certeza ao fechar negócio.

Plataformas: (iTeleport ou Matterport) + Plataforma Dedicada de Atendimento Virtual com Videochamada para Imóveis.

Exemplo:

 

 


 

A iTeleport é uma startup de tecnologia em Vivências Virtuais para o mercado imobiliário. Desenvolvemos soluções de ponta que acompanham todo o ciclo de vida de empreendimentos, desde o marketing de lançamentos até a revenda e locação. Com quatro anos de operação, a iTeleport possui franquias em 5 estados e já produziu mais de 1.000 Teleports pelo país.

 


 

AUTORES:

Francisco Toledo CEO e Fundador da iTeleport

Camila Niko Chaibub – Corretora de imóveis, Assessora de imprensa & Evangelista iTeleport

Jurandi Campelo – Analista acadêmico e pesquisador