Em nosso blog trazemos respostas objetivas, baseadas em dados, para ajudar você a desvendar o emaranhado de conselhos que você frequentemente encontra ao tentar comprar ou vender um imóvel. Neste post, traduzimos uma pesquisa feita pela imobiliária americana Redfin – uma das maiores nos EUA.

Peneiramos pilhas de dados para responder as seguintes perguntas:

1. Qual é o verdadeiro benefício da fotografia imobiliária profissional?

2. Uma imagem vale mais de mil reais?

A sabedoria convencional diria que casas vendem melhor quando anunciadas com fotos tiradas por fotógrafos profissionais, como a foto de cima.

Redfin-DSLR-Advantage_Professional-HouseFotografia Profissional
Redfin-DSLR-Advantage_Amateur-HouseFotografia Amadora

Nunca satisfeitos com a sabedoria convencional, nos voltamos aos números para responder a pergunta mais comum na mente de cada proprietário no momento de decidir a forma de comercializar sua casa. Realmente vale a pena pagar por fotografia profissional?

Acontece que na maioria dos casos a resposta é um sonoro “Sim!”

DSLR - Traduzido

 

Como o The Wall Street Journal relata “anúncios com fotografias mais bonitas se valorizam entre US$ 934 e US$ 116.076.” O gráfico mostra claramente que é provável que você ganhe milhares de dólares (ou milhares reais!) a mais se anunciar sua casa usando fotografia DSLR do que se você usar uma câmera simples para tirar as fotos por si mesmo.

O preço de uma câmera DSLR (em torno de R$ 2.000 a R$ 4.000+) está geralmente fora da faixa de preço para fotógrafos amadores. Já o custo de contratar um book com fotógrafo profissionais varia de R$400 a R$2.000, então já que as fotos profissionais podem render milhares a mais sobre a venda de sua casa, é lógico que investir em fotos profissionais é algo digno de seus reais em marketing.

Dada esta avaliação óbvia, é chocante que apenas 15.4% das casas no conjunto de dados da Redfin foram comercializadas com fotografia profissional. A maioria dos anúncios, 80.9%, foram fotografados usando a fotografia amadora, e 0.7% apenas uma câmera de celular. Não vamos medir palavras: Se você não estiver usando fotografia profissional para comercializar sua casa, você não está realmente marketeando seu imóvel.

 

Mais algumas dicas interessantes que vieram de nossas análises:

Casas fotografadas com câmeras DSLR:

  • Recebem uma média de 61% mais vistas do que seus similares em todas as faixas de preço
  • Têm um preço de venda 47% maior por metro quadrado
  • Têm uma maior probabilidade de venda para as casas com preços acima de US$ 300.000 (~R$ 1.200.000)
  • Permanecem no mercado uma média de 10 dias a menos em todas as faixas de preço
  • Casas com fotografias profissionais obtêm mais visualizações do anúncio e, por fim, são vendidads por um preço mais elevado

 

Então, o que isso tudo significa para alguém vendendo a sua casa?

Tenha certeza de que você, ou seu corretor, invista em boas fotos para o anúncio. Uma foto com aparência profissional aumenta drasticamente a probabilidade de que um potencial comprador vá clicar para ver o seu imóvel, o que culmina em mais compradores visitarem sua casa. Em última análise, quanto mais pessoas interessadas em seu imóvel, melhor é a sua chance de receber uma oferta atraente. Uma foto realmente pode valer mais do que mil dólares (ou quatro mil reais).

Como nós chegamos nestes números?

Foram calculados dois índices relacionando o preço de venda com o preço original em cada faixa de preço: um índice para casas anunciadas com fotos DSLR e um índice para casas com apenas fotos amadoras. Anúncios com fotos tiradas com outros tipos de câmeras (celulares, etc.), ou nos casos em que o tipo de câmera era desconhecido, foram excluídos da análise. Então, fizemos a diferença entre os dois índices em cada faixa de preço e multiplicamos pelo preço médio do anúncio de cada faixa.

Por exemplo, casas originalmente anunciadas entre $ 500.000 a US $ 599.999 tiveram um índice DSLR “preço de venda/preço do anúncio” de 93.85% e o índice para fotos amadoras foi de 92.63%. A diferença de 1.22 pontos entre eles foi multiplicado pela cotação média (US $ 556.828), determinando então uma vantagem média de US $ 6.811 para esta faixa.

Não perca as novidades

Leia também no blog da iTeleport